29 outubro 2015

Resenha: A Rainha Vermelha


"Crianças para sempre, crianças para sempre
Pele macia de bebê se transforma em couro
Não seja dramática, é só plástico
Ninguém irá te amar se você não for atraente..."
Mrs. Potato Head { www }

E eu finalmente trouxe resenha nova, eba! ♥ Não estou exatamente animada, na verdade, mas esse livro merece. ♥ Me desculpem pela foto da capa, está de noite e é realmente complicado fazer uma boa foto. Não, eu não posso esperar até de manhã. Se quiserem ver a capa melhor, tem aqui: [www].

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.
Editora: Seguinte
Autora: Victoria Aveyard
Páginas: 424

E então, vamos conferir?


Pra início de conversa, o livro é lindo. A capa é incrível - metalizada e simples ao mesmo tempo. A minha veio com um defeitinho no auto-relevo, coisa que eu não curti muito - mas é normal, considerando que é produzido em larga escala. As páginas são todas lindas, e a fonte tem o tamanho adequado.
A história é incrível. Quando você lê, percebe que faz alusão ao nosso próprio mundo; dá pra pegar várias referências. A diferença gritante entre as classes sociais, o sistema capitalista que obriga os mais pobres a sustentarem os ricos - está tudo ali. E Victoria Aveyard explora esse cenário com maestria, utilizando os sentimentos da personagem principal como guia.


Mare Barrow é incrível. Destemida, é uma protagonista feminina que não se rende a nada. Em poucos capítulos você se afeiçoa a ela e a seus problemas. Mare é, pra início de conversa, uma ladra; foi a única forma que ela arranjou de ajudar a família. Seus irmãos foram servir no exército. Seus pais desejam fervorosamente que ela seja como sua irmã.
O mundo de A Rainha Vermelha é lindamente trabalhado. Compreendemos imediatamente a crueldade do sistema todo - pessoas de sangue vermelho são forçadas a se curvar diante de pessoas de sangue prateado, numa hierarquia mais complexa do que se imagina.
A leitura tornou-se cansativa quando alcancei certo ponto da história, que só tomou seu vigor original pouco antes do final.



Resumindo: quatro estrelinhas, de um total de cinco.

2 comentários:

  1. A capa do livro é linda de morrer xd a sinopse do livro e incrível ja me deixou louca querendo ler u.u
    Sua resenha ficou otima xd

    Aishiteruemcontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu li esse livro ontem kkkk
    Acho lindo a capa e quero comprar (só li por pdf), mas tô em duvida se vai continuar legal assim até no segundo livro e no terceiro, se tiver. Então acho que vou esperar pelo menos até o segundo livro ser lançada e ai eu compro.
    Eu adorei a personagem principal, ela é menos idiota que a média apesar de tanta gente falar para ela quem é mau e ela não acreditar, ainda assim, ela é menos idiota que a média kkkk
    Eu não gostei muito do principe mais velho, tipo, ele é legalzinho, mas não foi meu preferido. Prefiro o mais novo, mesmo que ele tenha feito muita porcaria no final.
    Beijos <3

    ResponderExcluir