06 junho 2016

Falando sobre Alice Através do Espelho | sem spoilers


"Espelho, diga-me uma coisa
Diga-me quem é a mais solitária de todas
Medo do que está dentro de mim
Diga-me, um coração pode virar pedra?"
Mirror, Mirror { www }

E eu finalmente trouxe a minha opinião a respeito de Alice Através do Espelho! ♥ Me desculpem, de verdade, por fazê-los esperar. Agora estou aqui. Essa postagem não tem spoilers, mas eu vou fazer uma com spoilers depois (detalhando mais as coisas).
E então, vamos conferir?



Em primeiro lugar, o que já esperávamos: os efeitos especiais estão perfeitos. A fotografia do filme está primorosa. Os cenários são variados e detalhados. Esse é um dos pontos fortes do filme que preciso destacar logo de cara: a arte.
Em segundo lugar, a trilha sonora. É um pouco nostálgica. Acho que pegaram a trilha sonora do primeiro filme e fizeram algumas modificações. Eu gostei disso, pois deu uma sensação maior de continuidade.
E, já que estamos falando de continuidade... O filme peca justamente nessa parte. Eu levei algum tempo para sentir que estava assistindo uma sequência, porque esse filme é completamente diferente do primeiro em vários sentidos. Vamos começar falando de coisas simples: a paleta de cores, por exemplo. Muito colorida, já que Tim Burton voltou apenas como produtor (e ele foi o responsável pelo tom "gótico suave" do primeiro filme). Se não fosse pela trilha sonora familiar eu teria ficado perdidinha.
Outra coisa que contribuiu para o sentimento de "que filme é esse que eu tô vendo?" foi o humor. O primeiro filme foi bem mais sério. Em Alice Através do Espelho, sem Tim Burton pra fazer aquele drama básico, James Bobin e Linda Woolverton encheram tudo com piadas que eu achei desnecessárias em certos pontos da história.

Agora, sejamos realistas: o roteiro está pobre. Eu já comentei com vocês sobre o meu medo de isso acontecer, e realmente aconteceu. Todos os personagens do primeiro filme retornaram, mas nenhum deles teve um desenvolvimento realmente bom - o filme todo foi apressado, como se a intenção de James e Linda tivesse sido só reunir o elenco ali, não trabalhar nele.
E a pressa não se deu apenas nesse ponto. O plot inteiro acontece muito rápido. Você não tem tempo de se identificar com os problemas dos personagens até que eles sejam resolvidos e outros apareçam. O filme acaba e você fica com um vazio no peito, porque o desenvolvimento de tudo ficou atrapalhado e confuso.
Agora, um ponto super positivo desse filme, que eu amei e defenderei até a morte: feminismo. Tem cada tirada feminista que, vou te contar, só por isso já dá vontade de ver o filme inteiro de novo.

Sobre as atuações: Mia Wasikowska estava maravilhosa. Absolutamente perfeita. Quero casar com essa mulher. Mas Anne Hathaway estava muito forçada.

Em breve eu trarei uma postagem mais detalhada, com spoilers. ♥ Até lá!

Um comentário:

  1. Amei seu comentário, concordo com você e o filme está maravilhoso! Eu percebi que você ama Alice no país das Maravilhas, já me identifiquei com você e o seu cantinho. Beijos,
    http://o-hyeah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir